• Login (atualize a página se necessário)
Sávio Reale, s/t
Rachel Falcão, Da série Labiríntimo, 2009
Hélio Nunes, (Para que serve a pintura?) Para tapar um buraco na mesa onde tomo café com uma imagem temática, 2008
Sávio Reale, s/t
Melissa Rocha, Carreira de Monalisa, 2007
Ines Linke e Louise Ganz, Percursos, 2007
Maria Angélica Melendi, Altar em Tepito, México, DF
Ines Linke, Fabíola Tasca, e Rodrigo Borges, Perímetro, 2005
Maria Angélica Melendi, Altares de la Santa Muerte, México, DF
Rachel Falcão, Habita vida, 2000-2003

Rito de Passagem: O beijo, 2010

Lucas Delfino, Rito de Passagem: O beijo, 2010

Num entardecer de sexta-feira percorrer o corredor da Estação Central do metrô de Belo Horizonte carregando um jarro de água, um recipiente com tinta vermelha e um tapete de arabescos. Lentamente e em intervalos, estender o tapete, tirar os sapatos, debruçar-se sobre uma parede do corredor, limpá-la com um tecido embebido em água, pintar os lábios de vermelho e marcar a parede com um beijo. Essa ação é uma reminiscência do flagrante de judeus beijando o Muro das Lamentações em Jerusalém, assim como o da prostração de muçulmanos em tapetes interrompendo o fluxo de pedestres em uma ruela da Cidade Velha.

Ao fim da ação, uma das paredes do corredor do metrô exibe a marca de beijos vermelhos na azulejaria branca e asséptica de seu comprimento, escancarando a fraude de uma encenação religiosa e servindo desde então para devaneios de romance.

Essa ação foi elaborada para o Disseminação V, no dia 3 de dezembro de 2010.